3 de set de 2008

O petróleo irá nos salvar?

O Ministério do Desenvolvimento listou nesta quarta-feira uma série de ações para atingir as metas de exportações fixadas pela Política Industrial do governo, lançada em maio deste ano.
Serão investidos R$ 34 bilhões até 2010 --na maior parte, recursos que já fazem parte de outros programas do governo, como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e a própria Política Industrial. A maior parte do dinheiro (R$ 21 bilhões) será destinada a aumentar a competitividade das exportações brasileiras por meio de investimentos em infra-estrutura exportadora e crédito para comércio exterior.
Claro que 34 bilhões é melhor que nada, como vinha acontecendo. Não quero aqui parecer cético, mas 34 bilhões deve ser mais ou menos o lucro da Petrobras nesse ano de 2010, em outras palavras, pelo tamanho e as necessidades do Brasil, é quase nada. Pra se ter uma idéia, pra se utilizar as mega-jazidas de petróleo, será preciso investir cerca de 900 bilhões de Reais, 900 em pouco mais de 8 MIL Km2, imaginem o que faz 34 em 8 MILHÕES de Km2, é uma espécie de "operação tapa buraco da infra-estrutura". Só a agricultura, que relativamente é menos importante que a indústria, terá 78 bilhões só nesse ano, e só em crédito, e isso que a infra-estrutura também é muito importante para a agricultura, então a indústria terá 34 bilhões em três anos, média de 11 bilhões por ano, e parte será em crédito, parte em investimento - que todos os setores utilizam.
Mas ainda temos esperanças, se o dinheiro que virá do petróleo nos próximos anos for bem investido, veremos algo diferente acontecer. Se esse dinheiro não for usado como instrumento político, se não servir para inflar o Estado de cargos públicos, se não for vítima de corrupções de todo gênero, se não for gasto em besteiras, se for usado para o básico, que é educação, infra-estrutura e diminuição de impostos, aí, senhoras e senhores, vamos concretizar um sonho. Para isso, será necessário um governo pragmático, um governo sério (esse que está aí não passa nem perto disso). Nessas condições, sim, o petróleo irá nos salvar.

Nenhum comentário: