15 de set de 2008

À beira do colapso

Eu tinha sérias dúvidas sobre a possibilidade de uma crise mundial, mas confesso que fiquei receoso após as notícias de hoje. O Lehman Brothers faliu mesmo, abriu concordata (coisa que nem existe no Brasil), um tipo de pedido de falência que assegura o caráter limitado da pessoa jurídica, ou seja: os credores podem ir se despedindo do que tinham em haver com o banco (e que se diga, não eram simples cidadãos americanos, mas pessoas que são - ou eram - conhecidos rapazes de Wal Street). As bolsas deslancharam de vez, a Bovespa caiu 7,59%, logo agora que tantos pequenos aventureiros brasileiros começavam a investir, pobres esperanças lançadas num poço de fobia (lembranças de 29).
Quero ver como fica o "espetáculo do crescimento" depois que os preços dos alimentos e dos minérios (e talvez do petróleo) despencarem. Será um "espetáculo de nostalgia".

Nenhum comentário: