12 de set de 2008

106 anos de JK


Juscelino Kubitschek de Oliveira completaria hoje 106 anos se estivesse vivo. Foi um médico, militar e político, presidente do Brasill entre 19566 e 1961.
Com estilo de governo inovador na política brasileira até então, Juscelino era de grande simpatia e confiança entre os brasileiros. Foi o responsável pela construção de Brasília, um sonho antigo, já previsto em 3 constituições brasileiras, da mudança da capital para promover o desenvolvimento do interior e a integração do país. Durante todo o seu governo, o Brasil viveu um período de desenvolvimento econômico e estabilidade política jamais vista.
Juscelino foi eleito pela aliança PSD-PTB, em outubro de 1955 com 36% dos votos, pois só havia primeiro turno. A UDN tentou rejeitar o resultado, mas a posse de Juscelino foi garantida com uma operação militar, depondo o presidente Carlos Luz que tentava impedir a posse - até a época a política era sempre assim.
O plano de metas de JK é considerado um caso bem sucedido de formulação e implementação do planejamento estatal. O plano continha um conjunto de 31 metas, incluindo a construção de Brasília, ficando famoso pela expressão "50 anos em 5", supondo o potencial do plano para o crescimento do Brasil em seu governo. Para criar o plano econômico, foi feito um levantamento dos principais pontos de estrangulamento da economia brasileira, além de identificar áreas industriais com demanda reprimida, que não podia ser satisfeita com importações, dada a escassez estrutural de divisas na economia brasileira.
O crescimento industrial que ocorreu a partir do início do governo JK estava estruturado em um tripé formado pelas empresas estatais, pelo capital estrangeiro e, como sócio menor, pelo capital nacional. As empresas estatais participavam fortemente no setor produtor de bens intermediários. Os setores de energia, transporte, siderurgia e refino do petróleo recebiam a maior parte dos investimentos do governo.
A industrialização cresceu por substituição de importações, que impedia importação de produtos com similar nacional. Com isso, se possibilitou o crescimento urbano e uma industrialização jamais vista, fazendo com que milhões de pessoas passasem a ter empregos fixos e impulsionando o consumo das famílias de forma espetacular.
Também se isentou de impostos de importação as máquinas e equipamentos industriais, assim como os capitais externos, desde que associados ao dinheiro nacional. Para ampliar o mercado interno, o plano ofereceu uma generosa política de crédito. Financiou a implantação da indústria automobilística e da indústria naval, a expansão da indústria pesada, a construção de usinas siderúrgicas e de grande usinas hidrelétricas, abriu as rodovias transregionais e aumentou a produção de petróleo da Petrobrás. Durante seu governo, a produção industrial cresceu 80%, os lucros da indústria cresceram 76%.
Realmente a era JK refletia um novo Brasil, foram os chamados "Anos Dourados". Nessa época foram aparecendo os eletrodomésticos, com grandes novidades como os liquidificadores, foram criados os objetos de plástico e fibra sintética, e o país foi tomado pelo famoso "estilo de vida americano" baseado na vida urbana, familiar e feliz.
Juscelino através de uma política sóbria, soube trazer desenvolvimento ao Brasil. Foi sem dúvida, o melhor presidente brasileiro depois de Getúlio Vargas, a quem admirava abertamente. Essa é a nossa homenagem a essa imprescindível figura da nossa nação.

Um comentário:

Anônimo disse...

Achei que faltou ressaltar as consequências de algumas medidas tomadas por JK. Como o tripé econômico.